Ez a weboldal sütiket használ. Az Uniós törvények értelmében kérem, engedélyezze a sütik használatát, vagy zárja be az oldalt.

PEQUENA HISTÓRIA DA COMUNIDADE VINCULUM CARITATIScorrigida, Pe Euclides

            A Comunidade se formou na festa de noivado de Nossa Senhora, no dia 23 de janeiro de 1949, na Hungria. Sua espiritualidade é fruto do trabalho do Pe. Palankay Gausz Tibor SJ, que profeticamente, antecedeu a sua época, doando-se pelo seu trabalho pastoral específico com moças e famílias. Empenhou-se em aprofundar a vida espiritual e – como ele costumava dizer - a vida orgânica da comunidade. Fundou pequenas comunidades, grupos de oração, reanimando o desejo dos jovens para um maior conhecimento básico da nossa . Como obra da sua vida anunciava, com consciência, a vida cristã comprometida, baseada no autoconhecimento e auto educação, missão apostólica brotada do sacerdócio comum e realizada no dia a dia.

Como autor de diversos livros conceituados, editou vários livros pelos quais muitos chegaram a conhecer seus pensamentosAtravés do pensamento sobre o apostolado dos leigos, encontrou muitos colaboradores entre as jovens moças entusiasmadas. Entre elas muitas desejaram entregar totalmente a sua vida pela construção do Reino de Deus,  não saindo do mundo, mas santificando-o  sendo fermento.

No dia 02 de fevereiro de 1947, foi promulgada a Constituição Apostólica do Papa Pio XII – “Provida Mater Ecclesiae” na qualentendendo a voz dos tempos – aprova a vida evangélica no mundo, comprometida conforme os conselhos evangélicos e para isso aprova a fundação de Institutos SecularesConforme o documento papal, o Pe. Palánkay empenhou-se para que a sua intenção, mencionada para suas colaboradoras, seja realizada com a fundação, no dia 23 de janeiro de 1943, do Instituto Secular como Comunidade Vinculum Caritatis

Drahos János, Vigário geral, concedeu a licença para iniciar o funcionamento. O encaminhamento para Roma não foi possível por causa da situação política.

O nome escolhido Vinculum Caritatis = Vinculo do Amor foi a lema do Congresso Eucarístico Internacional na Hungria em 1938. Indica:

- O PaiOnipotente, que é o próprio Amor.

- O Filho Redentor, que está presente na Eucaristia e prova o amor insuperável do Pai Criador por nós.

- O Espírito Santo, que é o próprio ”laço seguro” que une não o Pai com o Filho, mas todos nós e entre nós.

Como Coordenadora Geral foi eleita Ilona Bárány. Ela, desde o início era colaboradora do Pe. Palánkay.

 Pe. Palánkay  -“o Pater”, como foi chamada entre elasestendeu a sua atenção para as famílias e também aos padres diocesanos. Assim também entre eles encontrou seguidores. Ao lado do Ramo Feminino começaram a se formar os grupos das famílias e padres.

O Ramo Feminino cresceu continuadamente. Após a dispersão das Congregações em 1950, a formação aconteceu totalmente camuflada em passeios, encontros familiares. Mesmo com todo o cuidado muitas foram presas e acusadas do crime de agrupamento religioso proibido pelo regime. Entre elas, também a Coordenadora Geral.

O lance inicial do ramo dos sacerdotes teve início com um retiro camuflado com um passeio de barco, o qual terminou com um acidente; conseqüentemente foram descobertas suas identidades. Eles também foram presos. A partir deste acontecimento, as moças tentaram criar laços com os sacerdotes nas suas redondezas mesmo sendo uma tarefa muito perigosa.

O ramo familiar era obrigado a minimizar suas atividades para proteger seus filhos. Algumas famílias, entre elas, tentaram preservar e realizar fielmente a idéia, apesar das circunstâncias difíceis.

Continuaram, após a recuperação da liberdade, o trabalho iniciado. Padre Vácz Jenö SJ, amigo do Pe. Tibor, apoiava-o com muito entusiasmo. Várias pessoas da Comunidade emigraram “como semente lançada” para a Áustria e Alemanha Ocidental e uma pequena Comunidade para o Brasil em 1970. Após a saída para o exterior de Bárany Ilona, continuava o contado=contato com os demais membros da Comunidade na Hungria.

Após a mudança de regime na Hungria, Bárany Ilona voltou para sua terra assumindo a organização da aprovação eclesiástica do Vinculum Caritatis, a qual ela preparava durante a sua permanência no exterior. Dr. Erdö Peter, hoje cardeal arcebispo primaz da Hungria, dava acompanhamento como canonista.

Conforme a licença da Congregação da Vida Apostólica e Consagrada, a Comunidade Vinculum Caritatis recebeu a aprovação de Direito Diocesano em 1994.

Seus membros são aquelas mulheres que receberam o chamado para viverem os Conselhos evangélicos. Caracteriza-as o estado secular ligado a Deus pela vida consagrada.

Conforme o Direito Canônico, a Instituição pode admitir membros católicos praticantes ligados a mesma pela busca da perfeita vida evangélica, tomando parte na missão da Instituição. Baseado nisso, o ramo Sacerdotal da Comunidade Vinculum Caritatis recebeu a aprovação em 1995 e, em 1996, o ramo Familiar.

Os membros da Comunidade se encontram ordinariamente nos encontros dos grupos, em dia de recolhimentos e retiros. O ramo feminino é responsável pela conservação do carisma próprio: sua essência é ser sal da vida, luz e fermento do mundo. Continua a edição das obras do Pe.  Palankay, mantendo a ligação com as outras Comunidades consagradas a Deus na intenção mais eficaz da santificação do mundo.

Em 1999 a Comunidade festejou os 50 anos de sua fundação. Nessa ocasião, editaram uma obra conjunta de toda a Comunidade, na qual os membros registraram suas lembranças e testemunhos. 

Em 2007 comemoramos festivamente os 100 anos do nascimento do Pe. Palánky Gausz Tibor e ao mesmo tempo, 10 anos de falecimento da primeira responsável geral Bárány Ilona. A festa jubilar aconteceu em Máriabesnyö onde vários membros da Ordem dos Jesuítas compartilhavam na alegria e nas graças recebidas.

Em 2009, nos 60 anos da fundação da Comunidade Vinculum Caritatis, foi inaugurada, abençoada pelo bispo Székely János, uma placa comemorativa para o nosso padre fundador Palánky Gausz Tibor. Nesta santa missa houve a renovação dos votos dos membros mais novos da Comunidade. 

Obs: o nome da fundadora é Bárány Ilona